Archive for the ‘Pescador de Ilusões’ Category

Participação Especial – Pescador de Ilusões

janeiro 20, 2010

Participação Especial é um espaço onde você pode colocar o seu trecho de filme favorito. Mande sua dica para thiagojd@gmail.com. Não é preciso escrever o diálogo, basta dizer qual é o filme, os atores que fazem parte da cena e explicar um pouco o conteúdo da conversa.

Dica de Monique Vidal do blog A Sombra da Lua

Conversa entre Parry (Robin Willians) e Lydia (Amanda Plummer) enquanto ele a leva para casa depois do primeiro encontro. Roteiro: Richard LaGravenese.

Lydia – Não precisa me dizer coisas bonitas. É fora de moda diante do que vamos fazer.
Parry – O que vamos fazer?
Lydia – Está indo até minha casa. Acho que está um pouco atraído por mim. E talvez queira subir para um café.
Parry – Eu não bebo café.
Lydia – Vamos beber algo e conversaremos para nos conhecermos melhor, ficaremos à vontade. Então você vai dormir comigo. E de manhã você vai acordar e estará distante. E não poderá tomar café da manhã comigo. Talvez só uma xícara de café.
Parry – Eu não bebo café.
Lydia – Então trocaremos telefones e você partirá. E nunca ligará. Eu irei trabalhar me sentindo tão bem por uma hora, e então lentamente irei me transformar num trapo… Não sei por que estou entrando nessa. Foi um prazer conhecê-lo.  Boa noite
Lydia sai correndo.
Parry – Boa noite. Espere! Espere! Por favor.
Parry corre atrás de Lydia e a alcança na frente da porta da casa dela.
Lydia – Não estou me sentindo bem.
Parry – Não é à toa.  Em 30 segundos, nos conhecemos, fizemos amor e rompemos. E não me lembro de ter dado o primeiro beijo, que é a melhor parte.
Lydia – Foi muito especial para mim…
Parry – É hora de você se calar. Cale-se, por favor. Não vou subir. Não tinha essa intenção.
Lydia – Oh, meu Deus!  Você não quer.
Parry – Quero sim.  Não imagina como você me excita. Mas não quero só uma noite.  Preciso confessar algo para você.
Lydia – É casado?
Parry – Não.
Lydia – Divorciado?
Parry – Não.
Lydia – Tem alguma doença?
Parry – Não. Pare, por favor. Estou apaixonado por você.
Lydia faz que vai falar algo. Parry faz um gesto para ela ficar em silêncio.
Parry – E isso não é de hoje. Conheço você há muito tempo. Sei que sai do serviço ao meio-dia, fica presa na porta, é empurrada e, três segundos depois, sai de novo. Ando atrás de você no almoço. Se é um bom dia, você compra um romance na livraria. Sei o que você pede para comer. Às quartas, almoça no Dinsum e compra um doce antes de voltar ao trabalho. Eu sei que você odeia o seu serviço, não tem muitos amigos. Às vezes fica atrapalhada e não se sente tão maravilhosa quanto os outros. Sente-se sozinha e abandonada.  Eu amo você.  Eu amo você. Eu acho que você é a  melhor coisa depois da prateleira de temperos. E ficarei mais que feliz se eu puder ter apenas um primeiro beijo. E não ficarei distante. Voltarei de manhã e ligarei, se você deixar. Mas ainda sim não beberei café.
Lydia – Você é real, não é?