Archive for the ‘Lugares Comuns’ Category

Lugares Comuns

agosto 11, 2009

lugares2

Fernando Robles (Federico Luppi) sai com um antigo amigo para fazer cópias de um livro sobre perfumes em uma biblioteca. Lá eles conhecem Tutti Tudela (María Fiorentino). Fernando e Tutti têm uma bela conversa na qual ele explica porque é fiel há 40 anos à sua mulher.
Baseado no livro de Lorenzo Aristarian   Roteiro: Adolfo Aristarain e Kathy Saavedra

Tutti – Embora a essência da lavanda seja muito boa convém misturar com pequenas quantidades de outros azeites. Isso fortalece a fórmula. Tem um livro de química industrial que explica tudo isso. Posso emprestar, mas terá de devolver porque não é meu. É do Instituto.
Fernado – Muito obrigado. Eu vou devolver. E se eu não entender alguma coisa, perguntarei. Parece que você sabe bastante sobre perfumes.
Tutti – Sei tanto disso quanto você de mulheres. Esse olhar discreto, que me olhou de cima a baixo. Acho que gostou do que viu, não é?
Fernando – Ou você é muito sábia, ou meu olhar está perdendo a discrição. Também não esperava encontrar alguém que despertasse em mim um inequívoco sentimento de luxúria.
Tutti – Você é uma presa que uma mulher sem preconceitos adoraria conquistar
Amigo – Se quiserem, eu continuo com as cópias, e vocês vão tomar um café.
Tutti – Eu ainda tenho alguns preconceitos. Este momento não passa de uma troca muito agradável de elogios eróticos. Puro flerte entre duas pessoas muito experientes.
Fernando – Experiência não quer dizer conhecimento. Eu não sei nada de mulheres.
Tutti – Isto é uma mentira elegante. Há coisas que cavalheiros não gostam de falar.
Fernando – As poucas mulheres que conheci na minha vida, eu as admirei, olhei e tentei decifrar. Não consegui. Nunca deixaram de ser um mistério. Nunca deixaram de me surpreender. Hoje o importante é desfrutar a sua presença. Não percebi isso logo, mas depois de um tempo aprendi a ouvi-las, a valorizar seus silêncios, os olhares. Momentos em que parece não acontecer nada, e acontece tudo. Aprendi a respeitar sua intuição, sua inteligência. E aprendi a amá-las.
Tutti – Quero adverti-lo de que o nível das minhas defesas está diminuindo perigosamente. Não se pode dizer essas coisas assim, como se não fossem nada.
Amigo – Eu me vou. Espero você no carro.
Fernando – Estou casado há 40 anos com a mesma mulher, e sou fiel.
Tutti – Eu não sou fofoqueira, não precisa mentir para mim.
Fernando – Não estou mentindo. Nunca me obriguei a ser fiel a minha mulher. Não é uma norma ou um pacto a respeitar. Eu e Lili, minha mulher, sempre dissemos que, se alguém cruzar nosso caminho, azar. Mas sem mentiras. Estamos juntos porque queremos, ninguém nos obriga. Nos obrigamos a ser leais. Nenhuma mulher que conheci depois de Lili ganha dela. As observo, posso admirá-las, posso conhecer alguém como Tutti Tudela. Estou aberto ao que possa acontecer, mas não tem jeito. Lili ganha. Lili ganha sempre.

Anúncios