Archive for setembro \27\UTC 2010

Quatro Casamentos e Um Funeral

setembro 27, 2010

Gareth (Simon Callow) fala da sua nova teoria sobre o casamento com Charles (Hugh Grant).  Roteiro: Richard Curtis

Gareth –Tenho uma nova teoria sobre o casamento. Duas pessoas se amam e vivem juntas, e aí um dia, de repente, ficam sem assunto. Completamente. Não conseguem pensar em nada para dizer ao outro. É isso. Pânico. Aí, de repente, o cara tem uma idéia para sair daquela situação.
Charles – E qual é a idéia?
Gareth – Ele a pedirá em casamento.
Charles – Brilhante! Brilhante!
Gareth – De repente, terão assunto para o resto da vida.
Charles – Então, basicamente, você está dizendo que o casamento é só um jeito de sair de uma pausa difícil na conversa.
Gareth – Isso. O quebra-gelo definitivo.

Particicipação Especial – Foi Apenas um Sonho

setembro 21, 2010

Dica de Marcos Fabrício do blog República do Pensamento

April (Kate Winslet) e Frank (Leonardo DiCaprio) discutem porque ela percebe que ele quer desistir do plano que haviam sonhado juntos.  Livro: Richard Yates  Roteiro: Justin Haythe.

April – Você não quer mais ir embora, não é?
Frank – Claro que quero.
April – Não quer, não. Você nunca tentou realizar alguma coisa. E se não tenta, não pode falhar.
Frank – Como assim, “não tento”? Não sustento você? Pago esta casa! Eu trabalho 10 horas por dia em um trabalho que eu não gosto!
April – Não precisa fazer isso!
Frank – Até parece! Não sou feliz com isso, mas tenho força de caráter para não fugir das minhas responsabilidades!
April – É preciso ter força de caráter para se viver a vida que se sonha, Frank.

Duplicidade

setembro 8, 2010

Ray Koval (Clive Owen) faz uma declaração de amor para Claire Stenwick (Julia Roberts). Roteiro: Tony Gilroy

Ray – Eu te amo. Penso em você o tempo todo. Penso em você até quando está comigo. Olho para você e não consigo parar de olhar. Olho para você e penso “Essa mulher sabe quem eu sou e me ama assim mesmo.”

Um Grande Garoto

setembro 2, 2010

Pensamento de Will (Hugh Grant), um solteirão convicto.  Livro: Nicky Hornby.   Roteiro: Peter Hedges, Chris Weitz e Paul Weitz.

Will – Na minha opinião todos os homens são ilhas. E tem mais, agora é a melhor hora para ser uma. Esta é a era das ilhas. Cem anos atrás, por exemplo, você dependia de outras pessoas. Não havia TV, nem CDs ou DVDs, nem vídeos ou cafeteiras de espresso. Na verdade, eles não tinham nada legal. Ao passo que hoje você pode se tornar uma ilha paradisíaca. Com os suprimentos certos e, o mais importante, com a atitude certa, você pode ser ensolarada, tropical, um ímã para jovens turistas suecas. Eu gosto de imaginar que eu talvez seja este tipo de ilha. Eu gosto de imaginar que eu sou muito legal. Gosto de imaginar que eu sou Ibiza.