Archive for agosto \27\UTC 2010

Amor sem Escalas

agosto 27, 2010

Depois de ser dispensada pelo namorado, Natalie (Anna Kendrick) conversa com Alex (Vera Farmiga) e Ryan (George Clooney).  Livro: Walter Kim.   Roteiro: Jason Reitman e Sheldon Turner.

Natalie – Quando tinha 16 anos, achei que aos 23 estaria casada, com um filho, escritórios com janelas, diversão à noite. Eu já devia estar dirigindo um Grand Cherokee.
Alex – A vida pode decepcioná-la.
Natalie (falando com Alex) – Onde você achou que estaria aos…
Alex – Não funciona assim.
Ryan – Em um certo momento você para de se dar prazos.
Alex – Pode ser contraprodutivo.
Natalie – Não sou antifeminista. Agradeço o que sua geração fez por mim.
Alex – Foi um prazer.
Natalie – Mas às vezes parece que o sucesso não importa se eu não estiver com o cara certo.
Alex – Você realmente achou que ele era o cara certo?
Natalie – Eu podia ter feito dar certo. Ele realmente tinha tudo a ver. Sabia?
Ryan – Tudo a ver?
Natalie – Executivo, formado, adora cachorros, gosta de comédias, 1,86m, cabelo castanho, olhos meigos. Trabalha com finanças, mas gosta de ar livre no fim de semana. Sempre o imaginei com um nome curto como Matt, John ou Dave. Num mundo perfeito ele dirige um 4Runner e, a única coisa que ele ama mais que a mim, é o seu golden retriever. E um belo sorriso. E você?
Alex – Me deixe pensar. Aos 34 anos todos os requisitos físicos saem pela janela. Você secretamente reza para que ele seja mais alto que você. Que não seja um babaca, alguém que curta a minha companhia, seja de boa família. Você não pensa nisso quando é jovem… Não sei. Alguém que queira filhos. Que goste e queira filhos. Saudável o bastante para brincar com os filhos. Por favor, deixe-o ganhar mais dinheiro que eu. Pode não entender isso agora mas, acredite em mim, você entenderá um dia. Senão, é uma receita para o desastre. E um pouco de cabelo na cabeça. Mas nem isso é um problema atualmente. Um belo sorriso. É, um belo sorriso pode ser suficiente.
Natalie – Uau, isso foi deprimente. Eu devia sair com mulheres.
Alex – Já tentei. Não somos tão agradáveis.
Natalie – Não me importo de casar com a minha carreira. E não espero que ela me abrace na cama ao adormecer. Só não quero me acomodar.
Alex – Você é jovem. Acha que acomodação é fracasso.
Natalie – E é, por definição.
Alex – Mas quando achar a pessoa certa, não vai mais parecer acomodação. E a única pessoa que restará para julgar você será a garota de 23 anos com um alvo nas suas costas.

Forrest Gump – O Contador de Histórias

agosto 17, 2010

Conversa entre Forrest Gump (Tom Hanks) e o tenente Dan (Gary Snise) enquanto eles assistem TV no feriado de Ano Novo.  Livro: Winston Groom   Roteiro: Eric Roth

Tenente Dan – Você já encontrou Jesus, Gump?
Forrest – Eu não sabia que deveria estar procurando por ele, senhor.

Participação Especial – Assassinos por Natureza

agosto 10, 2010

Dica de Denise Andretta

História contada por um índio quando o seu neto o pergunta se ele irá ajudar os assassinos Mickey (Woody Harrelson) e Mallory (Juliette Lewis) que estão perdidos no deserto.  Enredo: Quentin Tarantino  Roteiro: David Veloz, Richard Rutowski e Oliver Stone.

Índio – Era uma vez uma mulher que colhia lenha. Ela encontrou uma cobra venenosa congelada na neve. Levou-a para casa e a curou. Um dia a cobra mordeu o rosto da mulher. Enquanto ela morria, perguntou à cobra “Por que fez isso comigo?”. E a cobra respondeu “Olhe aqui, vadia, você sabia que eu era uma cobra.”

P.S. Eu Te Amo

agosto 4, 2010

Mensagem da última carta que Gerry (Gerard Buttler) deixou para sua esposa Holly (Hillary Swank) ler após ele ter falecido.  Livro: Cecelia Ahern  Roteiro: Richard LaGravenese e Steven Rogers.

Gerry – Querida Holly, eu não tenho muito tempo. Não digo literalmente. Você foi comprar sorvete e vai voltar logo. Mas tenho a impressão de que essa é a última carta, porque só resta uma coisa para dizer a você. Não é para falar de mais uma lembrança ou fazer você comprar um abajur, você pode se cuidar sem minha ajuda. É para dizer como você mexeu comigo, como você me mudou. Você me fez um homem ao me amar, Holly. E por isso sou eternamente grato. Literalmente. Se você pode me prometer uma coisa, prometa que sempre que se sentir triste ou insegura ou quando perder completamente a fé, você vai tentar olhar para si mesma com meus olhos. Obrigado pela honra de ter sido minha esposa. Sou um homem sem arrependimentos. Tenho muita sorte. Você foi minha vida, Holly, mas eu sou apenas um capítulo da sua. Haverá mais. Eu prometo. Portanto, aqui vai meu grande conselho. Não tenha medo de se apaixonar de novo. Fique atenta àquele sinal de que não haverá mais nada igual. P.S. Eu sempre te amarei.”